a palavra é a ciência perfeita
potencialmente polissêmica
em um sentido contextual
não ditas consigo
carrega todas as silenciadas
necessária do sem nome à existência
mais que existido
na palavra é gerada
(o que comunica a)
criação
de conteúdos, verdade, circunstância, liberdade, beleza, falácia, emoção
a palavra é a ciência perfeita
eu sou defectível
medida de busca em que se perde
resgate
casa para alma
demora, água e calma
é preciso ser melhor para merecê-la
de ser melhor as formas encontradas
a dor do desencontro ao escrevê-la
(como retas paralelas se infinitam no possível)
a alegria de pertencer a si mesma
(nunca o erro fez tanto amor)
continuar escrevendo
aceitar o processo
perder a resultante

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s